Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

"A Flor Amarela" na Academia Brasileira de Letras

01.04.19
Recebi correio de Antônio Torres, acadêmico que senta na cadeira 23, a de Machado de Assis: "Seu belo livro sobre o Brás Cubas será apresentado na sessão plenária da Academia Brasileira de Letras na próxima quinta-feira [29 Nov]. E por um machadiano de longa data, (...)

José Eduardo Agualusa e Mia Couto

01.04.19
Muxima é a palavra que em quimbundo designa coração. E amigo, como se diz? Que palavras dizem a amizade de José Eduardo Agualusa e Mia Couto? Alguns pontos de uma genética comum: livros, identidade, a vida secreta das plantas, as cores que temos e que uma menina de (...)

Jorge Silva Melo

27.03.19
“E os dias que não estive junto deles, a decifrar-lhes a letra miudinha, como os recuperar? Porque gostava de ser lembrado como alguém que, como os gatos, se passeou, um «flâneur». E gostava de escrever com a independência do Garret das «Viagens», também (...)

Glicínia Quartin

27.03.19
A pergunta é recorrente: quantas vidas cabem numa vida? Glicínia, a menina da Vila Sousa que se enfeitiçava com as figuras de Malhoa. Glicínia, a intelectual que se cruza com Almada Negreiros, Abel Manta, Jorge de Sena, Cesariny nos cafés de Lisboa. «Havia várias (...)

Maria do Céu Guerra

27.03.19
Uma vida chega? Não! Talvez o teatro seja, para começar, e para acabar, um exercício para iludir o medo de morrer. O medo de não se poder ser alegre e leve e voraz e tudo aquilo que se pode ser pelo facto de se ser. Portanto, o teatro é uma expressão de vida, uma vida (...)

Martin Essayan

24.03.19
“Beija a mão que não te atreves a morder” era uma das frases preferidas de Calouste Gulbenkian. O compromisso estava-lhe no sangue. Mas havia outras: “Confere, confere, confere”, e “Nada escapa à minha atenção”. Ambas vêm citadas no livro “O Senhor Cinco (...)

A Primavera de Botticelli

23.03.19
Ir a Florença e não ver o Nascimento da Vénus ou a Alegoria da Primavera é como ir a Roma e não ver a capela Sistina (e o Papa). As mulheres angelicais de Botticelli estão em posters desbotados e em porta-chaves, em esculturas manhosas para turistas, vêem-se por toda (...)