Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Miguel Esteves Cardoso e Maria João Pinheiro

04.11.20
O MEC já escreveu que O amor é fodido. Vivia em Lisboa, em sofrimento, à beira de uma síncope. Tinha graça, juventude, hordas de seguidores. Agora está na fase de achar Como é linda a puta da vida (novo livro que colige crónicas dos últimos anos). Este é o tempo (...)

Irene Flunser Pimentel

03.11.20
“Ser sempre contra é fácil. Construir é o mais difícil de tudo. Achávamos que éramos corajosos, heróicos, que íamos lutar pela vida de todos os outros. Eu pensava: “Se a ditadura um dia cair, lutamos contra quê?” Esta era Irene quando Irene era (também) (...)

José Mattoso

03.11.20
Vamos a algumas datas da vida de José Mattoso. (Que nunca foi bom em datas.) Nasceu em 1933. Entrou para o mosteiro beneditino de Singeverga em 1950. Doutorou-se em História Medieval pela Universidade de Lovaina em 1966. Regressou à vida laica em 1970. Foi Prémio Pessoa (...)

Rui Tavares

03.11.20
É um rapaz de Lisboa que é eurodeputado em Bruxelas. É um opinador que não tem muitas opiniões. Um historiador que espera reformar-se a ler e a traduzir Plutarco. Rui Tavares nasceu em 1972. A sua é a ínclita geração que cresceu em liberdade. E se ele achasse (...)

Michelle sabe cantar a Grândola

26.10.20
Michelle e Evelyn conheceram-se na infância. Os seus pais, militares da Força Aérea, foram amigos próximos. A relação foi brutalmente interrompida em 1973. Alberto Bachelet foi acusado de traição à pátria e torturado por militares, Fernando Matthei aderiu ao golpe (...)

Maria de Sousa e Sobrinho Simões (s/ Cancro)

26.10.20
A má notícia: um em cada três portugueses nascidos na última década terá cancro. A boa notícia: mais de metade dos doentes com cancro vai sobreviver à doença. Nas próximas páginas, a cientista Maria de Sousa e o patologista Manuel Sobrinho Simões fazem (...)

Cancro da Mama - testemunhos

26.10.20
São mulheres como outras quaisquer. Mulheres como nós. A quem “aquilo” aconteceu. Porquê a elas? Porquê a mim? – perguntam-se, sem excepção. Aquilo: cancro da mama. Falam de um mundo que desaba e de uma força estranha que as impele a continuar. Falam do cabelo (...)