Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

A casa de Anne Frank

27.01.19
“Viajámos num comboio comum de passageiros. (...) Anne não saía da janela. Lá fora era Verão. Pradarias, campos de restolhos, vilas voavam. Os fios telefónicos à direita, ao longo do caminho, dançando para cima e para baixo acompanhando as janelas. Era como se (...)

"Se Isto é um Homem"

27.01.19
Falamos de desumanidade?, inumanidade? De que falamos quando falamos dos campos de concentração e extermínio e da Segunda Guerra? Auschwitz foi libertado a 27 de Janeiro de 1945. Primo Levi viu uma brecha nessa madrugada que lhe permitiu pensar no regresso a casa. No livro

Jaime Milheiro

04.12.18
O Natal é um regresso à infância, ao lugar onde fomos felizes? O Natal é uma suspensão do mundo, à margem do tempo, da agressividade, da sexualidade? O Natal é um suplício e a família é um lugar estranho? O Natal é um território fictício de bons sentimentos, (...)

Yvette Kapferer

02.12.18
Yvette Kapferer viveu uma vida aventurosa de que se lembra bem. Nasceu numa família judia, abastada, em Paris. Foi campeã de golfe francesa. Entre 1940 e 1945 trabalhou na Escócia, numa base militar. Servia sanduíches, limpava o chão, sentia-se útil. Permitiu-se (...)

Lilia Schwarcz e Heloisa Starling (s/ Brasil)

01.12.18
Lilia M. Schwarcz e Heloisa M. Starling quiseram, não “contar uma história do Brasil, mas fazer do Brasil uma história”. Traçar uma biografia, destacar personagens que habitam uma casa grande (e não apenas os senhores), apontar datas fracturantes, movimentos (...)

O mundo das pessoas de pernas para o ar

01.12.18
Começámos o ano acabrunhados. A eleição de Trump, o Brexit, as vagas de refugiados, as imagens de destruição na Síria, os ataques terroristas, o arbitrário, o mapa visível, o mapa subterrâneo... Geringonça foi a palavra do ano em Portugal, Pós-Verdade foi a (...)

José Loureiro dos Santos

16.11.18
Alguém diz Loureiro dos Santos sem dizer general Loureiro dos Santos? Parece que nasceu militar, de tal modo se lhe colou a farda. Depois comove-se a falar do amor pelo país, ou a recordar uma cena de África, e não estamos preparados para ver um general chorar. Nem para (...)