Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Maria de Sousa

17.10.21
Desconcerta. É subtil. Fina como um alho, como se dizia antigamente. Tudo com um sorriso resplandecente. Maria de Sousa é uma cientista que se diverte como uma criança. Tem 75 anos. Saiu em 1964 para trabalhar em Inglaterra, Escócia, Estados Unidos. Regressou em 1985, (...)

Coimbra de Matos (s/ Portugal)

13.10.21
Somos inseguros, imaturos, praticantes da transgressão na sombra, além de desorganizados, individualistas, garbosos, disponíveis. Nós, os portugueses, o que esperamos do chefe, do pai, do protector, é que decida por nós, que assuma a responsabilidade por nós, que (...)

João Seabra Diniz

10.10.21
“Porque é que o ser humano, que é um ser racional, faz tantas coisas que não são racionais? A teoria psicanalítica foi a primeira a perceber que há uma parte do homem que não é racional. A irracionalidade faz parte da humanidade. A desumanidade faz parte da (...)

Coimbra de Matos (s/ Poder)

26.09.21
Oito da manhã de uma terça-feira. Coimbra de Matos fuma à secretária. Em frente, há um cadeirão desenhado por Charles Eames, que é aquele que ele ocupa. Ao lado, há uma chaise longue desenhada por Corbusier, onde habitualmente se deitam os pacientes. Naquela manhã, (...)

Alexandre Quintanilha e Richard Zimler

15.09.21
A homossexualidade é um não-assunto? Uma relação amorosa que tem 34 anos é um assunto? Falar do casamento entre pessoas do mesmo sexo, num país que o permite, continua a ser importante? E num tempo em que começa a ser feio ser preconceituoso, os exemplos são (...)

Ivo Pitanguy

07.09.21
O mais famoso cirurgião plástico do século XX cruzou o mundo como se ele fosse um mapa estendido sobre a mesa. Sabe o que é a joie de vivre. Tem muito para contar. Esta foi uma entrevista exclusiva para a Pública. Chegámos à ilha de helicóptero. Uma ilha no (...)

António Coimbra de Matos

01.07.21
Oito e meia da noite. O cinzeiro está sobre a secretária. A janela, que rasga o compartimento para o saguão, desenha já a noite de Outono. Ao fundo, há um espelho, alinhado à altura de um adulto. E ao lado, numa sala relativamente grande, coberto por um tecido (...)