Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Os 3ºs Filhos da Madrugada

13.05.24
Há 50 anos, vivia-se uma atmosfera nova, a folha estava limpa, o relógio começou a contar noutra cadência — metáforas para dizer o que Sophia de Mello Breyner disse no poema “Revolução”. Chama-lhe: “tempo novo sem mancha nem vício”. N’ Os (...)

Cláudia Jardim - Os Filhos da Madrugada

01.05.24
O que a entusiasma: o lugar da utopia. Tradução possível: mudar o mundo? Mas mudar em que sentido?, mas mudar porquê?, com que ferramentas? Cláudia Jardim, actriz e criadora, encontrou no teatro um espaço de liberdade a partir do qual podia questionar o seu lugar, um (...)

Graça Nascimento - Os Filhos da Madrugada

01.05.24
Graça Nascimento, 50 anos, feitos há uns dias, aquando das eleições de 10 de março. É casada, tem filhos rapazes, é professora e sindicalista. Licenciou-se em Ensino Básico, variante Matemática e Ciências Naturais, participou em projectos de educação de adultos (...)

Susana Cerqueira - Os Filhos da Madrugada

01.05.24
Pontos nucleares da sua cartografia: Minho, Europa, Miami, Carolina do Sul. Errância, experimentação, um corpo que dança e assim se exprime, persistência, foco são palavras chave para Susana Cerqueira, cientista. No começo estava a Biologia e um bom professor do (...)

David e Rui Moreira - Os Filhos da Madrugada

01.05.24
Rui Moreira define-se como anti-fascista, um liberal que se revê em Sá Carneiro. Começou a fazer vela na Mocidade Portuguesa. Fez fortuna, além da fortuna herdada, sendo armador. Queria fazer um negócio com gente nova, um escritório onde toda a gente se tratava por tu (...)

Fernando e Leonor Rosas - Os Filhos da Madrugada

01.05.24
“E assim começou o primeiro dia do resto da minha vida”, resumiu Fernando Rosas sobre o 25 de Abril. Um país nasceu naquela madrugada e os cidadãos desse país formavam “rios de multidão que levavam a história na mão”. Estou a citar José Mário Branco na (...)

Maria do Céu Veiga e Sara Veiga - Os Filhos da Madrugada

29.04.24
Se a ditadura não tivesse terminado naquela madrugada, Sara estaria condenada a repetir um padrão de vida de mulher pobre, remediada, sem estudos, sem autonomia. Estaria condenada a ficar emparedada na relação abusiva que viveu durante anos com um homem que precisava de (...)