Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Rui Tavares

13.09.18
É um rapaz de Lisboa que é eurodeputado em Bruxelas. É um opinador que não tem muitas opiniões. Um historiador que espera reformar-se a ler e a traduzir Plutarco. Rui Tavares nasceu em 1972. A sua é a ínclita geração que cresceu em liberdade. E se ele achasse (...)

Michelle sabe cantar a Grândola

01.09.18
Michelle e Evelyn conheceram-se na infância. Os seus pais, militares da Força Aérea, foram amigos próximos. A relação foi brutalmente interrompida em 1973. Alberto Bachelet foi acusado de traição à pátria e torturado por militares, Fernando Matthei aderiu ao golpe (...)

Júlio Pomar e Mário Soares

25.05.18
Como é que é quando dois velhos amigos se encontram? “Velhos?!”, graceja Júlio Pomar. Como é que é quando dois homens que se conhecem há coisa de 70 anos se reencontram? Fizeram-se amigos numa altura em que respirar e reagir eram quase sinónimos. Foram opositores (...)

Odete Santos

01.05.18
Tem a cara sulcada pela vida. Uma mulher sofrida. Mas robusta como uma rocha. Cresceu nas Beiras, entretida nas leirinhas dos avós, a correr lado a lado com o vento, de bicicleta. Sem irmãos, entre um pai de veia revolucionária e uma mãe arreigada ao conservadorismo. É (...)

Conceição Matos e Domingos Abrantes

28.04.18
Casaram em 1969. Mas antes disso tiveram uma vida. E depois de 74 tiveram outra. E antes dessas tiveram vidas paupérrimas, onde crescia a revolta e, estranhamente, havia espaço para a felicidade. Conceição Matos e Domingos Abrantes usam nomes ternos para chamar o outro. (...)

Isabel Soares (s/ Mário Soares)

24.04.18
Vive rodeada de livros, memórias, flores – nessa semana eram amarílis. Vive uma vida que é sua. Durante muito tempo viveu uma vida que se confundiu com a vida do país. Isabel Soares era a filha do oposicionista Mário Soares. Num célebre triângulo de Entrecampos, (...)

Pedro Magalhães

24.04.18
Pedro Magalhães é cientista político. Nasceu em 1970. Encontrámo-nos para falar do país que somos 40 anos depois do 25 de Abril. A despeito da crise e do desencanto com os políticos, a democracia esgotou o seu prazo de validade? Talvez a frustração seja inevitável. (...)