Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Dinis Machado (s/ futebol)

19.06.21
«Teve uma infância estranha, disse Austin. Em última análise, todas as infâncias o são, disse Mister Deluxe». O que diz Molero, Dinis Machado   - Descobri o futebol na rua, a jogar à bola na rua. Descobri um universo espantoso: o do prazer de jogar futebol. A (...)

Dolores Aveiro

16.06.21
Dolores Aveiro é a mãe de Cristiano Ronaldo, como toda a gente sabe. Tem uma história de pessoa humilíssima que sonhou o sonho de ser feliz. O discurso oscila entre o pungente e o cru. De uma violência de que parece não se dar conta ou, simplesmente, com que aprendeu (...)

Coimbra de Matos (s/ Portugal)

06.06.21
Somos inseguros, imaturos, praticantes da transgressão na sombra, além de desorganizados, individualistas, garbosos, disponíveis. Nós, os portugueses, o que esperamos do chefe, do pai, do protector, é que decida por nós, que assuma a responsabilidade por nós, que (...)

Barry Hatton

05.06.21
Em 2011, como somos? Barry Hatton tira-nos as medidas no livro Os Portugueses. “Têm o “desenrascanso”, que é uma coisa magnífica que os gajos da Troika não sabem, e que os analistas lá fora também não sabem. Deviam saber.” Portugal é o país do deixa andar, (...)

Carlos Amaral Dias (s/ BES)

05.06.21
Portanto, há um ano o BES era um banco sólido, o único a prescindir dos CoCos disponibilizados pela Troika. Ricardo Salgado era o Dono Disto Tudo, (DDT em versão resumida), eleito repetidamente como o mais poderoso da economia portuguesa nas páginas deste jornal. Eram (...)

Daniel Sampaio

31.05.21
Do irmão diz: “De forma semelhante ao meu pai, o meu irmão é uma pessoa antes do tempo.” O pai era um homem objectivamente bonito, que encantava pela maneira como estava. Infatigável, com um fio depressivo. Nunca se doutorou. A mãe encharcou dois lenços na (...)

Mª Emília e Nuno Brederode Santos

31.05.21
Quem é que os fez empenhados politicamente? O pai, o país, um tempo? Maria Emília e Nuno Brederode Santos são irmãos. Viveram intensamente alguns dos momentos mais marcantes da história recente. As crises académicas dos anos 60, o 25 de Abril, e antes disso, no caso (...)