Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Love Letter para Maria de Sousa

13.09.20
Escrevo a ouvir Dido e Eneias de Purcell. Maria assistiu à sua representação, todas as noites, presa à voz de Janet Baker. Foi na Escócia, há muitos anos. Escrevo uma love letter para Maria, uma carta de amor num quadro de pandemia vírica que a levou. Maria morreu (...)

Maria de Sousa

07.09.20
Desconcerta. É subtil. Fina como um alho, como se dizia antigamente. Tudo com um sorriso resplandecente. Maria de Sousa é uma cientista que se diverte como uma criança. Tem 75 anos. Saiu em 1964 para trabalhar em Inglaterra, Escócia, Estados Unidos. Regressou em 1985, (...)

Maria de Sousa e Sobrinho Simões (s/ Cancro)

06.09.20
A má notícia: um em cada três portugueses nascidos na última década terá cancro. A boa notícia: mais de metade dos doentes com cancro vai sobreviver à doença. Nas próximas páginas, a cientista Maria de Sousa e o patologista Manuel Sobrinho Simões fazem (...)

Clara Ferreira Alves

06.09.20
Clara Ferreira Alves, “como toda a gente sabe”, vende opiniões. As suas opiniões são lidas, comentadas, elogiadas, vilipendiadas. Tem seguidores e detractores como todas as figuras carismáticas. Formou-se em Direito, é colunista do Expresso e comentadora do (...)

Manuel Sobrinho Simões

05.09.20
Manuel Sobrinho Simões é cientista. Ele diz que não é um bom cientista, e que não é por fala modéstia que o diz, mas por ser a verdade. É, seguramente, um dos maiores especialistas do mundo em cancro da tiróide. Se tiver de definir o que mais gosta de fazer é (...)

Domingos Folque Guimarães e Jwana Godinho

31.08.20
Domingos foi o arauto da revolução, nasceu 15 dias antes do 25 de Abril. Jwana nasceu pouco depois, no Canadá. Fazem este ano 40 anos. As suas histórias são (também) a história do país democrático. São pais da Margarida (sete anos), do Francisco (cinco anos) e do (...)

José Gameiro

21.06.20
“Que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure”, escreveu Vinicius de Moraes. O gostar, esse grande mistério, que cremos infinito quando somos incendiados, é, como todos sabem, de experiência própria, uma coisa de todos os dias, (...)