Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Coimbra de Matos (s/ Poder)

26.09.21
Oito da manhã de uma terça-feira. Coimbra de Matos fuma à secretária. Em frente, há um cadeirão desenhado por Charles Eames, que é aquele que ele ocupa. Ao lado, há uma chaise longue desenhada por Corbusier, onde habitualmente se deitam os pacientes. Naquela manhã, (...)

Isabel Soares (s/ Mário Soares)

26.09.21
Vive rodeada de livros, memórias, flores – nessa semana eram amarílis. Vive uma vida que é sua. Durante muito tempo viveu uma vida que se confundiu com a vida do país. Isabel Soares era a filha do oposicionista Mário Soares. Num célebre triângulo de Entrecampos, (...)

José Tolentino Mendonça

23.09.21
Fala como quem faz poesia, fala como quem ora. Esta é uma entrevista com um homem que é um padre e um poeta. Uma dimensão não é dissociável da outra. José Tolentino Mendonça foi ordenado padre em 1990. No mesmo ano editou o primeiro livro de poemas. No princípio, (...)

Daniel Sampaio

13.09.21
Do irmão diz: “De forma semelhante ao meu pai, o meu irmão é uma pessoa antes do tempo.” O pai era um homem objectivamente bonito, que encantava pela maneira como estava. Infatigável, com um fio depressivo. Nunca se doutorou. A mãe encharcou dois lenços na (...)

Vasco Vieira de Almeida

10.09.21
A sensação é a de folhear um álbum de retratos, sentados à roda da mesa. Os retratos que aparecem são os de algumas das mais fascinantes figuras do século XX português. Os acontecimentos recuperados reconstituem a História, desta vez contada na primeira pessoa. Foi (...)

Mª Emília e Nuno Brederode Santos

10.09.21
Quem é que os fez empenhados politicamente? O pai, o país, um tempo? Maria Emília e Nuno Brederode Santos são irmãos. Viveram intensamente alguns dos momentos mais marcantes da história recente. As crises académicas dos anos 60, o 25 de Abril, e antes disso, no caso (...)

Lilia Schwarcz e Heloisa Starling (s/ Brasil)

07.09.21
Lilia M. Schwarcz e Heloisa M. Starling quiseram, não “contar uma história do Brasil, mas fazer do Brasil uma história”. Traçar uma biografia, destacar personagens que habitam uma casa grande (e não apenas os senhores), apontar datas fracturantes, movimentos (...)