Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Ler Ferrante no Cinema Ideal, no Chiado

17.11.18
Como explicar o êxito mundial de Elena Ferrante, o seu magnetismo? O escritor Jonathan Franzen fala de personagens que estão em guerra com o seu próprio eu, capazes de ir ao seu âmago. E quem é a amiga genial, Lila ou Lenù? A Febre Ferrante incendiou-nos a todos, e (...)

José Loureiro dos Santos

16.11.18
Alguém diz Loureiro dos Santos sem dizer general Loureiro dos Santos? Parece que nasceu militar, de tal modo se lhe colou a farda. Depois comove-se a falar do amor pelo país, ou a recordar uma cena de África, e não estamos preparados para ver um general chorar. Nem para (...)

Loureiro dos Santos (s/ Portugal)

15.11.18
Abordam-no na rua. Abordam-nos na rua. A ele, Loureiro dos Santos, a eles, militares. Perguntam: “Foi para isto que os senhores fizeram o 25 de Abril?”. O descontentamento cresce todos os dias. E nós falámos dos fascismos que rondam, como hienas. De as suas hostes, (...)

Ler no Chiado Pedro Mexia

15.11.18
A última sessão do ano do Ler no Chiado será dedicada a Pedro Mexia. Nos seus poemas e crónicas encontramos Camões, Paolo e Francesca da Divina Comédia, Sandokan, Morrissey, vestígios de uma educação católica, Taxi Driver e outros filmes, retrato dos tios na (...)

Pedro Mexia

14.11.18
Pedro Mexia já não é aquele que adopta o verso de Camões “Foi-me tão cedo a luz do dia escura” como primeira linha de um auto-retrato. O poema vai para 20 anos. Entretanto acabou o curso de Direito (alguém o imagina num escritório?), apresentou nos blogues o (...)

Manuel António Pina

13.11.18
Manuel António Pina vive entre livros, papéis e gatos. Lembranças, palavras e um cão. Nasceu no Sabugal, há 65 anos. É poeta, escreve livros infantis (embora não goste da designação), é cronista. A sua obra está traduzida, foi premiada. Pina é o tipo de homem (...)

Ler e escrever (Plano Nacional de Leitura)

13.11.18
Aprendi a ler com cinco anos, numa escola pública. Até há pouco tempo, não prestei especial atenção ao facto de ter aprendido cedo e ter aprendido bem. Fiz o primeiro ano, que então se chamava primeira classe, duas vezes: a primeira com cinco anos, quando frequentei (...)