Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anabela Mota Ribeiro

Eduardo Lourenço e José Augusto França

21.05.19
A ideia de juntar dois amigos para recordar 60 anos de amizade não era “assaz esdrúxula”. Era um modo de falar de um tempo longínquo, de revistas que se faziam em cafés, da vida que os incendeia, de estarem nonagenariamente bem. Foi José Augusto França que usou a (...)

Eduardo Lourenço

21.05.19
De como Hanna Arendt se apaixonou por Heidegger. De como a Natureza desperta, espasmódica, no coração da selva amazónica. De como a mulher o corrige conjugalmente por viver numa língua que não é a sua. As brumas da infância. O desejo infinito de liberdade. A ferida (...)

Álvaro Siza Vieira

19.05.19
Não a propósito da arquitectura, mas do desenho, tinha dito: “Há uma ligação entre mão e mente muito estreita”. Ao longo da entrevista, procurou-se essa ligação. Falou dele próprio e menos do génio mundialmente conhecido por Siza Vieira. Nasceu em 1933. O dia (...)

Seis anos de blog!

14.05.19
Seis anos, seis anos!  No dia 14 de Maio de 2013 abri o blog com o propósito de disponibilizar o meu arquivo, tê-lo online, de acesso integral e gratuito. Era também uma forma de organizar o meu trabalho, disperso por vários suportes e publicações, ver como tinha (...)

"Se Isto é um Homem"

14.05.19
Falamos de desumanidade?, inumanidade? De que falamos quando falamos dos campos de concentração e extermínio e da Segunda Guerra? Auschwitz foi libertado a 27 de Janeiro de 1945. Primo Levi viu uma brecha nessa madrugada que lhe permitiu pensar no regresso a casa. No livro

A casa de Anne Frank

14.05.19
“Viajámos num comboio comum de passageiros. (...) Anne não saía da janela. Lá fora era Verão. Pradarias, campos de restolhos, vilas voavam. Os fios telefónicos à direita, ao longo do caminho, dançando para cima e para baixo acompanhando as janelas. Era como se (...)

Adriana Molder

14.05.19
Para começar, há uma história, há uma cara, há uma fantasia? Há o impulso de pintar mergulhando no papel? Para começar uma série, há geralmente uma história, sim. Essa história é por mim inventada ou então roubada dum livro. Depois há uma ou várias imagens (...)